Partida (Sistema Elétrico)
Muitos motoristas lembram-se de alguns dos sistemas de um carro apenas quando estes apresentam problemas, e aí algumas cenas tornam-se comuns. Acordar cedo, dirigir-se ao carro na garagem e já atrasado, dar a partida sem nenhum sinal do motor virar. Para que isto não aconteça, nós vamos dar algumas dicas e explicações de como manter em ordem o sistema de bateria, alternador e o motor de arranque, que em geral são os responsáveis pelo problmea neste tipo de situação.

Alguns problemas podem ser evitados com a verificação da conexão do cabo de bateria, correia do alternador, e nível da água da bateria (se a mesma não for selada). Outros itens dependem de uma checagem e/ou troca em certos intervalos de tempo, como qualquer outra parte do carro.

  • Se sua bateria for livre de manutenção, basta checar o visor. Se estiver verde ou azul é sinal que a carga está “OK”. Se o indicador estiver vermelho é sinal que a bateria está fraca e necessitando de carga.
  • Alguns problemas podem ser descobertos antes de ocorrerem, pois alternadores e baterias costumam dar sinais de "problemas", antes mesmo que ocorra uma pane. Um dos primeiros avisos, é a dificuldade do motor de arranque em conseguir com que o motor entre em funcionamento, fazendo com que o motorista force mais a partida para que o motor de arranque faça o motor funcionar.
  • Outra forma de descobrir, é ficar de olho nos faróis e nas luzes internas. A bateria quando não está sendo carregada adequadamente, tem dificuldade de mandar energia para os faróis em marcha-lenta e conforme aumenta-se a rotação, a luminosidade aumenta, dando indícios de problema no alternador ou dínamo (em carros mais antigos). Estes sintomas podem ser também algum mau contato ou curto-circuito no sistema elétrico.
  • Ao completar o nível de água na bateria, utilize somente água destilada, pois a água de torneira contém minerais dispersos e cloro que podem danificar as placas. A falta de água na bateria, pode acarretar na sua perda, já que as placas se colam umas às outras e entram em curto- circuito. Nunca deixar que o nível passe a marca “MAX”, pois a bateria se aquece com a carga e podem ocorrer vazamentos.
  • Sempre verifique os pólos da bateria quanto à oxidação ou se há um pó esverdeado. Quando existe muito óxido, pode ocorrer do carro dar a partida mas o alternador não conseguir carregar a bateria devida à baixa amperagem, como consequência da oxidação. Neste caso a solução é bem simples, bastando desconectar os terminais e lavá-los. Cuidado com a pele e a pintura do carro e certifique-se que não haja vazamentos, pois o ácido de bateria é corrosivo. Depois de lavar os terminais, com o auxílio de uma lixa, limpe os terminais removendo toda a oxidação que provoca os problemas de contato. Em seguida coloque um pouco de vaselina nos pólos e conecte os cabos.
  • Se a bateria for selada não há muito que fazer, além da limpeza e a checagem do visor de carga.
  • Se durante uma viagem ou um longo tempo de uso do carro aparecer um cheiro ácido, pare o carro e verifique se a bateria está muito quente. Se estiver é possível que o alternador esteja enviando excesso de carga para a bateria, podendo fazer com que a bateria exploda. O problema pode estar no regulador de voltagem.
  • O motor de arranque pode apresentar alguns dos sintomas de bateria fraca, como por exemplo, você dar a partida e o motor virar pesado. Este sintoma pode indicar algo de errado com o motor de arranque e não com a bateria. Portanto, verifique se a bateria tem carga suficiente.
  • Verifique também o ponto de ignição do motor, já que um motor muito atrasado vai parecer sintoma de bateria fraca.
  • Geralmente quando há problemas de voltagem, a luz indicadora de bateria no painel se acenderá denunciando problema de alternador com o veículo em movimento.
  • Nunca faça um carro pegar no tranco, pois essa “mania” pode trazer um sério prejuízo ao sistema de câmbio e diferencial (tração traseira). Em carros dotados de catalisador, ao fazê-los pegar no tranco, pode-se correr o risco de queimar a parte interna do mesmo, já que a gasolina não queimada e a alta temperatura do escapamento podem ocasionar um incêndio interno comprometendo o uso do catalisador e portanto trazendo mais prejuízo.
  • Carros dotados de injeção eletrônica, nem adianta tentar, pois com menos de 9 volts a centralina simplesmente não funciona.
  • Um cuidado muito importante, é não inverter em hipótese alguma a polaridade dos cabos da bateria, pois isso provoca a queima do módulo de injeção e de outros componentes eletrônicos.
Com essas dicas é possível que você não tenha maiores dores de cabeça com o sistema elétrico responsável pela partida do seu carro. Basta ficar de olho em alguns componentes e ficar atento aos sintomas do carro para poder descobrir o defeito.
Grecco