Pneus - Entendendo um pouco mais!


Voltamos a falar em pneus uma vez que por mais que se tenha dito na duas matérias anteriores, o assunto ainda não está esgotado. É preciso que você saiba mais a respeito deste acessório que cumpre papel de vital importância no seu carro. Trataremos da estrutura do pneu e ensinaremos você a como "ler" um pneu.

Estrutura - é importante falar da estrutura do pneu para que você entenda a respeito dos dois tipos usuais de pneus: Diagonal e Radial. Embora o primeiro tipo venha tendo sua utilização depreciada, ele foi amplamente usado até década de 70 e, ainda é possível encontrá-lo equipando utilitários. O radial por outro lado é o tipo que normalmente vem em todos os carros de passeio.

Um pneu moderno consiste de diversos componentes, alojados dentro de uma estrutura de borracha moldada - a carcaça. O principal item estrutural é conseguido por meio de camadas de tecido misturado à borracha, as chamadas lonas. O papel das lonas é conferir rigidez e forma ao pneu. A maneira como estão dispostas as lonas é que vai determinar se um pneu é Diagonal ou Radial.

Se as fibras dos tecidos que compoem as lonas estão dispostas em ângulos de 45º, diz-se que o pneu é diagonal. Já os radiais caracterizam-se por terem as lonas com fibras indo de um talão ao outro (disposição radial). O talão é o nome que se dá ao cabo de aço revestido de borracha, que fica dentro da borda interna do pneu e é responsável por prendê-lo à borda das rodas. Além das lonas radiais, costuma-se adotar lonas de reforço - chamadas de cintas - colocadas longitudinalmente entre as lonas e a banda de rodagem, sendo confeccionadas de nylon ou de aço, que é no caso a razão do nome "pneus de aço".

Os pneus radiais devido às características de construção (disposição das lonas), possuem maior maleabilidade e, portanto, maior vida útil, aderência ao piso, maior maciez e menor atrito durante o rolamento do veículo. Os diagonais, por outro lado, por contarem com uma estrutura mais rígida (particularmente as laterais), são mais indicados para o uso em terrenos irregulares e uso com carga, daí sua utlização em utilitários.


Leitura - no momento que você tem que comprar pneus novos para seu carro você sabe identificar e interpretar todas as informações contidas na sua lateral? Se a resposta é não, então é para você que escrevemos este trecho, pois na lateral do pneu vem contidas todas as informações necessárias para que se possa adquirir o produto adequado as suas necessidades.

Na figura ao pé da página mostramos os dados referentes às características do pneu quanto a dimensões, tipo de construção (diagonal ou radial), índice de carga, velocidade, desenho do pneu, calibragem máxima, uso ou não de câmara de ar.


  • 205 - Largura de secção do pneu em milímetros (205 mm);
  • 50 - Percetual da altura da secção em relação a largura, também chamada de Relação de aspecto (50% da largura ou aproximadamente 102 mm);
  • R - Construção Radial
  • 15 - Diâmetro total do aro em polegadas (15 polegadas)
  • 86 - Índice de carga (normalmente as lojas especializadas dispõe da tabela indicativa de carga, que neste exemplo equivale a 530 kg)
  • V - Velocidade do pneu (da mesma forma que o índice de carga, existe um diagrama ou tabela que mostra a velocidade máxima para a qual o pneu foi construído, que no exemplo é de 240 km/h - vide figura acima)
  • TUBELESS - Indica que trata-se de um pneu que dispensa câmara de ar.
  • CV90 - Desenho dos sulcos do pneu.

É possível ainda notar outras inscrições no pneu e que significam se lidos da esquerda para direita e de cima para baixo:
  • Taxa Máxima de Carga de 1224 LBS
  • Pressão Máxima de 36 PSI
  • As lonas são compostas de 6 camadas, sendo duas de Rayon, duas de aço e duas de Nylon
  • As laterais tem lonas com duas camadas de Rayon

Joker